Desde a manhã de 8 de junho de 1997, em que derrotou o espanhol Sergi Bruguera, por 3 a 0 e abocanhou o troféu de Roland Garros, a vida do tenista Gustavo Kuerten já não é mais a mesma. Da noite para o dia, Guga passou a ser requisitado por fãs no mundo inteiro e ser alvo da imprensa.

Mas a fama e o assédio não o transformaram. Pelo contrário. Só o estimularam a tornar-se uma pessoa ainda mais humana e empenhada em ajudar as causas sociais.

Com um largo sorriso no rosto esbanjando simpatia, Guga procura levar uma vida simples.

Quando está em Florianópolis (SC) sua cidade natal, ele sai com os amigos, que conhece desde os 13 anos, quando estudava no Coração de Jesus, pega onda na praia Brava e ainda assiste os jogos de seu time favorito, o Avaí.